1° IEQ Correia Pinto

Ministério Pr Celso e Pra Cleusa Dias Impulsionando Vidas!

Nossa Licalização

Rua Equador 1420 Bairro São João – Correia Pinto Santa Catarina.

Visite nosso Blog

Visite nosso Blog histórias de sucesso, veja fotos dos encontros, vídeos e muito ….

Login

Areá Administrativa

Videos e Nossos Programa de Radio

Videos pregações e nossos programa de radio

Contato Markentig

Deixe seu recado que o mais breve possível responderemos

Galeria de Fotos

Visite nossa Galaria e foto e acompanhe nossos acontecimentos

REDE de Jovens

Ministérios

O Ministério dcriancas2e Crianças é um Ministério que ensina as crianças através de atividades e ensinos bíblicos, e desenvolver um verdadeiro caráter cristão. […]

Ministrando uma dança que causa um efeito no mundo Espiritual

O principal objetivo pela qual dançamos é louvar e adorar o nome de Deus, e também dançamos para ganhar almas, alcançar, curar e salvar vidas através de nossos movimentos, e SIM, isso é possível através da dança. Porém não basta apenas fazermos parte de um ministério de dança, tem que haver uma disposição em nós de darmos o melhor pra Deus com aquilo que sabemos fazer.

Nós temos vivido um tempo muito abençoado em nossa igreja, um tempo de mudanças de novas experiências, um tempo de fazer a obra com excelência. E com a ajuda dessa palavra gostaria de compartilhar algumas coisas que tem me feito entender que são necessárias para que a minha dança cause um efeito no mundo espiritual, seja aceita por Deus e seja um agente abençoador na vida das pessoas:

1ª Precisamos ser pessoas saradas: Quando dançamos transmitimos o que estamos sentindo, e transformamos sentimentos e palavras em movimentos, pois bem, se eu não for uma pessoa sarada o que estarei transmitindo para as pessoas através da dança? O que Deus vai estar recebendo? Talvez seja fácil coreografar, mas isso não significa que vai gerar algo no mundo espiritual e na vida das pessoas.

E como me torno uma pessoa sarada? Há vários fatores que ajudam a nos tornar pessoas saradas/curadas, mas eu quero citar algo que eu acredito ser o primeiro passo para isso, que é o discipulado (por isso é importante as pessoas que queiram fazer parte do ministério de dança estarem sendo discipuladas), é no discipulado que vamos entender e aprender que existem coisas que podem atrapalhar nossa vida e nossa dança, o discipulador então é o mediador entre essas “coisas” e a nossa cura. Mas precisamos entender que não é só fazer parte do discipulado, a cura em nossas vidas e consequentemente em nossas danças só acontece de fato quando dentro do discipulado eu “confesso” para o meu discipulador (a) coisas que podem estar me prejudicando, é por meio desse “confessar” que há realmente a cura, a bíblia é bem clara em Tiago 5.16: Portanto confessem os seus pecados uns aos outros para que vocês sejam curados […] Esses uns aos outros seriam nossos líderes espirituais e o discipulador é um líder espiritual. O discipulador é quem tem a visão da vida do discípulo e com toda certeza ele ajudará o discípulo a se tornar uma pessoa sarada (aconteceu e vem acontecendo comigo). É muito importante que os ministros da dança sejam pessoas que estejam participando do discipulado.
2ª Precisamos ter intimidade com o Deus da dança e mantê-lo em primeiro lugar: Na intimidade é você e Deus (Mateus 6.6) “Nossa intimidade não pode se basear em uma variável no domingo, mas em uma constante durante toda a semana” foi mais ou menos isso que o Pr.Climar disse em um culto esses dias. E realmente nosso relacionamento com Deus não pode se basear em apenas finais de semana, mas tem que ser algo que acontece todos os dias, e eu acredito que intimidade não é orarmos mecanicamente e sem parar, mas sim passarmos um tempo significativo e de qualidade com Deus. Então, a intimidade com Deus é um passo super-importante para que minha dança cause um efeito. É bom entendermos que uma vida de atividades não substitui uma vida de intimidade (Deus vem trabalhando isso comigo), não importa a quantidade de coisas que você faça pra Deus se você não tem intimidade com Ele, essas coisas se tornam NADA.

Se meus movimentos são para Deus, a minha dança tem que estar ligada com Ele, e essa ligação só acontece com uma vida de intimidade.

Mateus 6.33 fala sobre buscar PRIMEIRO o reino de Deus. Ele tem que ser o primeiro, caso contrário nada vai acontecer através de nossa dança, e Ele será o primeiro a partir do momento que assumirmos um compromisso real. Além de Deus ser o primeiro em nossa vida, Ele tem que ser o agente motivador da nossa dança, ou fazemos parte do ministério de dança porque é bonito, porque não me encaixo em outro ou até mesmo pra chamar a atenção? Se a nossa motivação não estiver voltada á Deus com toda certeza nossa dança não fará diferença alguma.

3ª Precisamos de visão para o nosso ministério: A essência da visão é de enxergar além do que seus olhos físicos conseguem ver — de não apenas ver oque é, mas também o que pode vir a ser e tornar isso uma realidade. Visão é um conceito que é inspirado por Deus. E podemos dizer ainda que vista é diferente de visão, pois a vista é uma função dos olhos mas a visão é uma função do coração. O propósito é o fundamento da visão e a visão é a manifestação do propósito. Propósito é o que você nasceu para fazer e visão é quando você vê isto.

Quando você está em seu propósito, você não faz parte de um ministério de dança só pra dançar e porque é legal, mas você está ali para maximizar o seu potencial e ser usado por Deus através disso. O que nos falta dentro do ministério de dança é a visão, porque quando você consegue ver o que é possível e acreditar que, de fato, pode se tornar realidade, isto torna você capaz de realizar o impossível. Veja e acredite que é possível pregar as boas novas e ganhar almas através da dança, que é possível chamar a atenção de Deus com seus movimentos, veja e acredite que um ministério de dança não foi chamado só para ser mais um ministério dentro da igreja, mas que pode ser uma ferramenta nas mãos de Deus.

“Quando você consegue ver o que quer e realmente acredita que é capaz, não importa o que aconteça você nunca desiste.”

4ª Precisamos de atitude: Eu poderia escrever muitas coisas aqui em relação a atitude mas quero resumir com um exemplo bem clássico da bíblia: “Davi só se tornou o grande Rei Davi, porque Ele sabia e entendia do que era capaz. E ele visualizou através daquele gigante uma oportunidade de ser tornar conhecido. Davi confiou no seu potencial e teve uma ATITUDE.” O fator de nosso sucesso é conhecer o nosso potencial, e quando nos diminuímos diante do que queremos nunca vamos ter o que de fato merecemos. Deus tem coisas grandes para no nosso ministério, mas por vezes nós mesmo nos diminuímos acreditando que somos pequenos demais para conquistar, mas Davi também era pequeno e matou um gigante. O que nos falta é atitude em reconhecer que podemos fazer muitas coisas em Deus, que podemos tornar nosso ministério de dança um ministério que abençoa outras vidas, as vezes as coisas não acontecem porque os próprios integrantes do ministério não valorizam e não acreditam em si, não acreditam que Deus pode agir através da dança, se você que faz parte de um ministério de dança não acreditar nisso e não buscar isso é bem provável que não aconteça mesmo. Então que possamos ter mais ATITUDE saindo da zona de conforto e acreditando que Deus pode usar nossa dança SIM.

Esses 4 passos, são 4 de MUITOS passos que devemos seguir para que nossa dança cause um efeito no mundo espiritual, para que ela seja aceita por Deus e abençoe pessoas. Talvez seguir esses passos não seja uma tarefa muito fácil, mas é uma tarefa um quanto que necessária para que nosso ministério seja um ministério que faça a diferença.

Liderança sadia, ministério saudável

Nada acontece sem liderança. Nada se desenvolve sem liderança. Todos nós em algum momento precisamos ser “dirigidos”. E em um ministério de dança também é preciso uma liderança eficaz e sadia.

Fazem 3 anos que sou líder do Ministério de Dança aqui na igreja, e posso dizer que já passei por muita coisa durante esse período, aprendi e entendi muitas coisas, algumas demorei um pouco, outras aprendi e entendi mais rápido. Nessa caminhada, já falhei algumas vezes, e acertei outras. E como eu sei que todo líder precisa de um mentor espiritual, eu só tenha que agradecer a Deus porque em minha volta não faltam pessoas em quem posso me espelhar, em quem posso confiar, pessoas que de alguma forma sempre me ajudam.

Baseado em tudo que aprendi com Jesus, meus líderes e minha discipuladora, hoje eu gostaria de compartilhar algumas coisas que eu acho necessárias em relação a liderança de um Ministério de Dança:

1ª Liderança sadia antes de ser governo é exemplo – Tudo começa com o líder, então antes de tudo um líder tem que ser exemplo. Porque ninguém pode cobrar o que não faz ou o que não é. Se você quer que seu ministério cresça, dê frutos, faça a diferança, começe ser exemplo antes de governo.

2ª Liderança sadia tem vida de oração– Já estamos cansados de saber que nada acontece sem oração. E toda a nossa dança, tudo que venhamos fazer para Deus através de nosso ministério só vai funcionar atravéz de oração.

3ª Liderança sadia é liderança que preza a santidade– A qualidade de um ministério de dança não se diz pela quantidade de pessoas que fazem parte dele, mas pelo compromisso dessas pessoas em se manterem santas. Pode ser a coreografia mais linda, com o maior número de pessoas, com os passos mais diíceis, mas se não há uma vida de santidade NADA ACONTECE.

4ª Liderança sadia tem visão– Os métodos podem mudar, mas a visão NÃO. Você pode mudar o modo como ensaia, os dias que ensaia, o horário que ensaia, mas não poderá mudar o objetivo da sua dança (que é adorar), se isso acontecer é porque seu Ministério não tem visão,ou a visão é distorcida. Os métodos para você alcançar qualquer coisa dentro do Ministério podem mudar, mas você precisa ter uma visão clara para o seu ministério, e a visão não se pode mudar.

5ª Liderança sadia distribui tarefas– Um líder não faz tudo sozinho, nunca vai conseguir fazer tudo sozinho. Por isso que em I Co 12 a Igreja é comparada á um corpo, porque no corpo existem vários membros e cada membro tem a sua função, sua importância e um precisa do outro.É exatamente assim dentro do ministério de dança, cada membro tem a sua importância, e um bom líder deve valorizar isso e distribuir muito bem as tarefas.

6ª Liderança sadia tem seu sistema de crença sempre ativo– Ninguém vive a cima do seu limite de crença. Um líder tem que ser uma pessoa de fé, acreditar que os sonhos do ministério se realizarão, acreditar que Deus tem coisas grandes para fazer através da Dança. O seu sistema de crença confia em seu potencial e produz confiança,e a sua crença deve motivar sua atividade não de acordo com o que você vê, mas de acordo com o que você crê.

7ª Liderança sadia contagia– Uma coisa que talvez eu tenha demorado um pouco pra entender, mas creio que entendi. O líder deve ter seu sistema de crença sempre ativo, porém tem que mostrar isso para seus liderados. Não adianta você crer que sua dança é capaz de gerar algo no mundo espiritual, que sua dança é aceita por Deus, que sua dança pode curar pessoas, que pode ganhar muitas vidas pra Jesus, sonhar com muitas coisas para seu ministério,mas não contagiar seus liderados com todo seu entusiasmo e sua fé.

8ª Liderança sadia preza por unidade– Uma das bases de um ministério de Dança é a unidade entre TODOS os membros. A nossa dança só vai fluir se todos o membros do corpo estiverem unidos em só objetivo e se dentro dessa unidade existir um amor genuíno. E essa unidade começa pelo líder, onde ele se relaciona com TODOS o membros, não apenas com aquele que ele tem mais “afinidade” (Deus falou muito comigo em relação á isso).

9ª Liderança sadia decide firmemente– O líder não pode ter medo de expor suas ideias dentro do ministério por medo do que os liderados vão achar ou pensar, um líder tem que ter o pulso firme mas sem precisar “pisar” em ninguém. Decidir firmemente na hora de resolver os problemas, na hora de corrigir, na hora de decidir o que é melhor para o ministério.

10ª Liderança sadia não desiste– Eu não posso deixar de citar aqui algo que meu líder Juliano Biscaia vem falando á alguns dias: “Ninguém abandona o que é”. Ou seja, se você é de Deus você não vai abandonar Ele, não vai trocá-lo por nada. Se você realmente ama o ministério do qual faz parte, você não abandona ou desiste por qualquer coisinha. Se você é verdadeiramente um líder nunca vai abandonar, caso contrário nunca foi um líder de verdade. Jesus não abandonou a cruz.

“Uma liderança sadia vai gerar um ministério saudável com liderados sarados.”

Por fim,deixo aqui como exemplo o maior líder que já existiu: JESUS CRISTO, que venhamos olhar para Ele sempre, e nos inspirar Naquele que viveu cada um dos seus dias para fazer a vontade de Deus.

Priscila Bastos

380678_333300050084706_121928720_n

logo_diaconato333
Os membros do Diaconato ou Corpo Diaconal são: diáconos, diaconisas,
cooperadores e cooperadoras
O que é um diácono?
Brasao_Diaconato1
É o oficial da igreja responsável pela ordem e disciplina em todas as atividades
da igreja: cultos,batismo e formatura,casamentos,etc

Primeiramente as canções antes de serem ministradas ao público, devem ser ministradas ao seu coração nos bastidores. As pessoas não vão sentir nada daquilo que você não esteja sentindo.

Seja natural e verdadeiro. Não tente ser aquilo que você não é. Evite transmitir insegurança e nervosismo

enquanto conduz o Louvor e a Adoração a Deus.Voz tremida, semblante amedrontado e principalmente falas decoradas não podem acontecer na ministração.

Cantar desafinado e sair do ritmo, prejudicando os músicos e o canto congregacional, são atitudes que jamais podem fazer parte do dirigente de louvor. Ele deve ter o mínimo de musicalidade para que isso não aconteça.

É interessante que saiba tocar algum instrumento musical, facilitando, assim, sua percepção de ritmo ”interno” para a ministração. Acertar o tempo musical, a entrada da música e a afinação são itens indispensáveis.Aperfeiçoe seu ouvido e sua voz.

A expressão do Ministro deve mostrar aquilo que ele realmente quer dizer com o cântico.

Existem pessoas que vão ministrar e aparentam cansaço, semblante caído, abatimento ou cara fechada, fazendo com que a igreja não entenda o que está acontecendo, pois louva-se com uma coisa e vive-se outra. Se você vai conduzir, resplandeça alegria, simpatia, esperança, amor, paz etc. Você deve transmitir (sem falsidade) aquilo que a música está dizendo, pois se assim não for, será inútil a sua condução. Outros dirigem o louvor com medo. Medo do pastor, de outros líderes, de outros ministros… Ficam com medo como se eles fossem avaliar o seu serviço. Faça para o Senhor. Faça com inteireza de coração.

Conheci muitas pessoas que diziam: “irmãos, não liguem a minha voz de taquara rachada, mas é para louvor ao nome do Senhor”. hahaha 😀 Quanto a isso só posso dizer que o ouvido dos irmãos não é penico, e Deus é Digno do Melhor. Qualidade é uma coisa que vem do céu.

“…buscai um homem que toque bem, e trazei-mo.” 1Sm. 16:17

Rafael Silva, Ministro de Louvor.

280536_1331935545

logo_gmjr

Ministério de Juniores é um ministério que trabalha com crianças de 11 a 14 anos,preparando-os

para o futuro,atraves de estudos da palavra Deus, e atividades que ajudam a desenvolver

a comunhão e relacionamento com a familía,igreja e sociedade

juniores

3

grupodehomensHomens

Ministério de homens é um ministério que trabalha com homens,a fim de edificá-los atraves de princípios biblicos,de modo que o homem desenvolva seu verdadeiro papel,dentro da família,igreja e sociedade.

No capítulo sete de Juízes, Gideão tinha trinta e dois mil homens que iriam lutar contra os midianitas. Deus determinou que fosse feita uma seleção entre eles, retirando primeiramente os medrosos e tímidos, houve uma redução de vinte e dois mil homens. Entre os dez mil que ficaram Deus ordenou que fosse feita nova seleção, e então sobraram somente 300 homens, que realmente estavam prontos e dispostos a fazer diferença no exército de Deus.

Com um novo ministério, um novo tempo, gerado por uma visão transformadora, o Ministério de Homens Marcados pela Visão, esta preparado para edificar, encaminhar e encorajar os homens a um compromisso verdadeiro com Cristo e com seus relacionamentos.Tem a missão de restaurar homens, gerando uma transformação interior, que através disso influenciem de forma construtiva os seus relacionamentos com a família, amigos, trabalho e principalmente com Deus.

Estabelecer no coração do homem o verdadeiro princípio da família; Integrar a maior quantidade de homens ao ministério e ao trabalho da obra.

Estabelecer compromisso com Jesus Cristo, buscando maior nível de comunhão e intimidade com Ele, assim impactarão os níveis de atuação na igreja, sociedade e governo.

“Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e e minha casa servimos ao SENHOR”. ( Josué 24: 15 )

ENCONTRO DO MINISTÉRIO DE HOMENS MARCADOS PELA VISÃO REALIZADO NA CASA DO IRMÃO JUCA.

logo-rede-homens

Logo_GMM

1. O que é GMM?

O Grupo Missionário de Mulheres – GMM – é um departamento missionário da igreja, com objetivo de reunir, evangelizar e ensinar todas as mulheres, procurando treiná-las para servir o nosso Senhor Jesus Cristo e Sua obra.

2. Objetivos

Comunicação – Através das reuniões, promover uma maior comunhão entre as irmãs;

Edificação – Procurar edificar mulheres que já foram salvas por Cristo, para que cresçam no conhecimento de Deus;

Evangelização – Alcançar todas as que não conhecem Cristo, levando a mensagem de salvação;

Oração – Conscientizar todas as sócias de a necessidade de orar e cultivar uma vida diária de oração e busca do poder de Deus;

Serviço – Despertar em cada irmã o desejo de servir Deus e sua igreja, envolvendo-se nos trabalhos do GMM e demais áreas de atuação, tais como: Diaconato, EBQ, Discipulado e outros.

Venha participar todas as quartas feiras as 15:00 do Ministério de Mulheres Rosa de Saron

O Grupo Missionário de Mulheres – GMM – é um departamento missionário da igreja, com objetivo de reunir, evangelizar e ensinar todas as mulheres, procurando

treiná-las para servir o nosso Senhor Jesus Cristo e Sua obra.

mulhers

gmj1

“ Jovens,eu vos escrevi, porque sois fortes, e

palavra de Deus esta vos, e jaz venceste o maligno”(1ª João 2.14).

POSSO FICAR?

A palavra ficar é um verbo de ação, onde a juventude atual tem utilizado. Esta palavra não é muita antiga, é muito mais recente do que imaginamos, surgiu no Brasil no inicio dos anos 90. Esta situação desencadeou por causa da pílula anticoncepcional fazendo com que os namoros ficassem mais assexuados.

O significado é: uma relação afetiva sem compromisso que não possui fidelidade, tanto como um simples beijo como uma relação sexual desordenada e sem comprometimento, podendo variar o tempo, pode durar meses dias ou minutos, assumindo ou não um namoro sério.

Em Tg: 3:3-6; 9 fala sobre a língua,podemos usá-la para abençoar ou amaldiçoar nossa vida.E existe algumas razões que eu quero citar das conseqüências e maleficências que esta to pode nos trazer:

Primeiro vejamos dentro do contexto científico segundo psicólogos e orientadores sexuais chegaram à conclusão do mal que isso pode causar:

1-Você não conhece a pessoa na maioria dos casos antes do envolvimento. Entrega-se o corpo para uma pessoa estranha.

2-Na opinião deles é um demonstrativo de libertinagem, que significa viver nos prazeres e delícias de tudo aquilo que o mundo pode oferecer. Não tem senso crítico de realidade não tem limite.

3-Esta ausência de compromisso provoca alguns sentimentos como: confusão, ansiedade, angústia e etc.

4-Uma das pessoas pode ter um sentimento não correspondido, ao ver a pessoa desejada com outro pode querer exclusividade e fazer com que o outro e afaste.

Lembrando que o descrito acima é do ponto de vista científico que não esta fugindo de bíblia, verá agora em contexto espiritual:

Gl: 5:19 Muitos dizem que a bíblia não diz nada sobre isso vejamos :

1-Gn: 2:24: Diz que Deus fez o homem para a mulher e para unir-se em uma só carne, isso implica em casar Deus é um Deus de compromisso meu caro jovem,você acha que Deus aprova algo sem compromisso e desordenado? Não ele é perfeito e a bíblia toda ele demonstrou ser um Deus de compromisso e de fidelidade.

2-No texto acima fala das obras da carne e cita prostituição: que significa todo percurso sexual fora do casamento. E cita também lascívia: viver para agradar os próprios sentidos. Quando você fica com alguém que não ama e não conhece você esta fzendo isso simplesmente para agradar os seus sentidos, e pior se você se relacionar sexualmente você está se prostituindo, então de uma forma ou de outra esta pecando e saindo do propósito Divino.

3-Como a boca tem o poder de abençoar ou amaldiçoar você coloca sua boca no pecado me diga o que atrairá para a sua vida?Com toda a certeza amaldiçoará sua vida abrindo portas de entrada para o inimigo destroná-la.

4-Além disso, toda pessoa que não serve a Deus está sendo dominada por um demônio Ef:2:1 você estará se unindo com aquilo que ela tem e ela te transmitira o que ela tem.

5- Isso pode se tornar viciante e terá grandes possibilidades de se frustrar sentimentalmente por nunca fixar um compromisso com alguém, e a palavra fala que não é bom que o homem ande só.

Então joven não entre na heresia mundana que diz que isto não está na bíblia já esta mais do que comprovado que isso não é de Deus e que não faz bem pois até a ciência não está a favor disso.Portanto não deixe que nada te afaste de suas convicções de fé afinal ninguém vale mais do que a sua salvação.Procure andar com pessoas que te façam bem, se conheça saiba seus limites sexuais, entenda a vontade de Deus pra sua vida.

Amém que DEUS abençoe vocês de seus líderes: Juliano e Deyse

jov

Palavra Pastoral

Estamos convictos de um chamamento do Senhor Jesus, no qual nos tem convocado para ganharmos almas e fazermos discípulos.

Nisto temos nos empenhado, de modo que temos visto a transformação na vida de muitas pessoas através do ensino da palavra de Deus.

A cada dia, tenho me maravilhado com o grande crescimento de discípulos em nossa Igreja, pessoas comprometidas verdadeiramente com a palavra e gerando frutos no reino de Deus. Temos trabalhado, com nossa equipe, para que toda nossa igreja seja discipulada e envolvida em um de nossos ministérios, e, com isto, possamos, a cada dia, estarmos evangelizando toda a nossa cidade. Cremos que o Senhor Jesus está fazendo uma grande obra nesta cidade, pois temos visto os frutos em nossa Igreja. Que Deus abençoe a todos que fazem parte deste ministério, pois estamos fazendo uma grande Obra, de modo que não podemos parar. Um Abraço a todos.

Pr Celso Dias

Quem somos

O que pregamos – Visão discipulado – Nossa Fundadora

Quem Somos

Doutrina Quadrangular

JESUS CRISTO SALVA

Temos o seguinte esboço, para o estudo desta doutrina:

A – O “rosto do homem”.

B – Evangelho – LUCAS.

C – Como apresenta Jesus – Como “Filho do Homem”.

D – Símbolo da Salvação – A Cruz.

E – Cor simbólica na bandeira – Escarlate (vermelha).

1 – Jesus Cristo, o Salvador:

images

A – O primeiro rosto que Ezequiel viu, foi o “ROSTO DE HOMEM” representando Jesus Cristo, o “Filho do Homem”, como Salvador que foi sacrificado por nós. Todos necessitam desse Salvador, porque todos pecam (Romanos 3.23). É necessário crer n’Ele (Atos 16:31) para nascer de novo (João 3:3), e ter o nome escrito no livro da vida (Apocalipse 20:15). Para sermos salvos, Cristo morreu por todos e ressuscitou (Romanos 8:34). Ele intercede por nós (Hebreus 7:25), defende-nos (I João: 2:1-2) e liberta-nos do pecado e da morte (Romanos 8:2).

Jesus Cristo, o Salvador, é nosso Cordeiro da Páscoa (I Coríntios 5:7); como o povo de Israel no Egito foi protegido da morte pelo sangue de um cordeiro sacrificado, assim, Jesus nos protege da morte eterna pelo Seu sangue e nos garante a salvação (Êxodo 12:1-7; I João 2:2).

Este é o primeiro aspecto do Evangelho Quadrangular: JESUS CRISTO, O SALVADOR.

B – O EVANGELHO DE LUCAS apresenta Jesus Cristo, o Salvador que “veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lucas 19:10).

C – Lucas apresenta o Salvador Jesus Cristo como “FILHO DO HOMEM”, perfeito e ideal, no corpo, alma e espírito. Este evangelho foi escrito especialmente para os gregos, cujo ideal era o homem perfeito.

Quem é o “FILHO DO HOMEM”? O “FILHO DO HOMEM” é o “FILHO DE DEUS”.

Em João 1:1, lemos: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.”.

Continuando, as Escrituras declaram, em João 1:14, que “…o Verbo se fez carne, e habitou entre vós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”. I Timóteo 3:16 explica: “E sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade; aquele que se manifestou na carne, foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregando aos gentios, crido no mundo, e recebido em cima na glória.”.

Por quê o Verbo se fez carne?

1 – Para ter corpo a ser oferecido como sacrifício pelos pecados dos homens: “… santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo…” (Hebreus 10:10).

2 – Para que Seu sangue pudesse ser uma expiação sobre o altar (a cruz), pois, “É o sangue que faz expiação pela alma.” (Levítico 17:11).

3 – Para que se tornasse o perfeito Cordeiro do sacrifício (João 1:29; Isa. 53:7; I Pedro 1:18,19).

4 – Para que Deus pudesse manifestar a expressão máxima do Seu amor para com o mundo (João 3:16).

Vejamos alguns aspectos humanos de Jesus que as Escrituras focalizam:

1 – É “a semente da mulher”. (Gênesis 3:15).

2 – É “o homem de dores e trabalhos” (Isaías 53:3).

3 – Chamou-se a si mesmo o “Filho do Homem”. (Mateus 9:6).

4 – Teve fome (Lucas 4:2), teve sede (João 19:28), cansou-se (João 4:6), foi tentado (Hebreus 4:15), sentiu agonia (João 11:35), sentiu dor (Marcos 8:31), sentiu pesar (Mateus 26:38).

5 – “A si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhança de homens” (Filipenses 2:7,8 – Ed. Atualizada).

6 – Sofreu como homem: Foi cuspido, flagelado, ridicularizado, desdenhado, rejeitado, humilhado e morto. “Certamente levará as nossas aflições e removerá as nossas tristezas.” (Isaías 53:4).

O “FILHO DO HOMEM” ressuscitou ao terceiro dia (I Coríntios 15:4), foi visto por muitos (I Coríntios 15:4-8), subiu ao céu (Atos 1:9) e está à mão direita de Deus Pai (Hebreus 1:1, 3).

D – O SÍMBOLO da Salvação é a CRUZ. Está vazia porque Cristo vive (I Coríntios 1:18-20).

E – A doutrina da Salvação está simbolizada na bandeira da Igreja do Evangelho Quadrangular, pela cor escarlate, representando o sangue de Cristo derramado por nós.

JESUS CRISTO BATIZA COM O ESPÍRITO SANTO

Temos o seguinte esboço, para o estudo desta doutrina:

A – O “rosto de leão”.

B – Evangelho – JOÃO.

C – Como apresenta Jesus – Como “Filho de Deus”.

D – Símbolo do Batismo no Espírito Santo – A Pomba Ouro.

E – Cor simbólica na bandeira – Amarelo (ouro).

2 – Jesus Cristo o Batizador no Espírito Santo.

logo_ieq-2012

A – O segundo rosto que Ezequiel viu foi o “ROSTO DE LEÃO”, representando Jesus Cristo como Batizador no Espírito Santo. Quando lemos na Palavra de Deus, que Sansão, Davi e Benaia mataram um leão (Juízes 14:5-6; I Samuel 17:34-36; II Samuel 23:20), sempre pensamos em pessoas muito valentes; isto porque o leão é símbolo de força e poder.

O primeiro e o último livro da Bíblia falam de Jesus como leão. A profecia “Judá é um leãozinho” (Gen. 49:9) é referente a Jesus, que viria da tribo de Judá. Será cumprida, ainda, no futuro, como lemos no último livro da Bíblia. “E disse-me um dos anciões: Não chore, eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu para abrir e desatar os sete selos.” (Apocalipse 5:5).

Este Leão, que disse: “É me dado todo poder no céu e na terra” (Mateus 28:18), foi reconhecido por João Batista como o Batizador no Espírito Santo: “… Aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu… Ele vos batizará com o Espírito Santo…” (Mateus 3:11). Nos últimos dias do seu ministério Jesus disse: “… Convém que eu vá, porque se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas se eu for enviar-vo-lo-ei” (João 16:7).

Pouco antes de Sua ascensão, Jesus disse aos discípulos: “… na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo não muito depois destes dias” (Atos 1:5). Jesus considerou tão importante o Batismo no Espírito Santo, que ordenou aos Seus discípulos “Ficai, porém, na cidade de Jerusalém até que do alto sejas revestido de PODER.” (Lucas 24:49).

Esta promessa concretizou-se no Dia de Pentecostes. Vejamos o relato em Atos 2:1-4. “E cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; e de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.”.

E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.”. Esta preciosa promessa tornou-se realidade desde os tempos apostólicos. Vejamos os acontecimentos em Samaria, Cesaréia e Éfeso:

1 – Um ano após o Pentecostes, em Samaria, os samaritanos “receberam o Espírito Santo” (Atos 8:1-24). O falar em línguas como manifestação do Espírito é evidente, porque Simão, o mágico, ofereceu dinheiro pelo poder de transmitir este dom manifestado diante de seus olhos.

2 – Oito anos depois do Pentecostes (Atos 10:1-48), em Cesaréia, Cornélio, gentio, como “muitos que ali se haviam ajuntado” (Atos 10:27), estavam ouvindo as palavras de Pedro, quando veio o Espírito Santo sobre eles e “… todos quantos tinham vindo com Pedro maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios… Porque os ouviam falar em línguas, e magnificar a Deus.” (Atos 10:44-46).

3 – Vinte anos depois do Dia de Pentecostes (Atos 19:1-6), em Éfeso, veio o Espírito Santo sobre uns doze varões que estavam ouvindo a palavra de Paulo, e “falavam línguas e profetizavam” (Atos 19:6).

B – João apresenta Jesus, como o Batizador “que batiza com o Espírito Santo” (João 1:32,33).

C – João apresenta Jesus, o Batizador, como “Filho de Deus” e afirma: “Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o FILHO DE DEUS” (João 20:31). Seu Evangelho foi escrito para os cristãos do mundo todo.

João não apresenta a origem humana de Jesus, mas abre o seu Evangelho com a afirmação positiva da Sua divindade. “No princípio era o Verbo… e o Verbo era Deus” (João 1:1). Além disso, o próprio Jesus identificou-se com o Pai: “… dizia que Deus era Seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus” (João 5:18). Aceitou a exclamação de Tomé: “Senhor meu, e Deus meu!” (João 20:28). Afirmou Sua eternidade: “Antes que Abraão existisse, EU SOU.” (João 8:58).

D – O símbolo do Batismo com Espírito Santo é a POMBA (Mateus 3:16).

E – Este aspecto do Evangelho Quadrangular está simbolizado na bandeira pela cor de OURO, tipificando o fogo celestial do Espírito Santo.

JESUS CRISTO CURA

Temos o seguinte esboço, para o estudo desta doutrina:

A – O “rosto de boi”.

B – Evangelho – MARCOS.

C – Como apresenta Jesus – Como o “Servo”.

D – Símbolo da Cura Divina – O Cálice.

E – Cor simbólica na bandeira – Azul-clara.

3 – Jesus Cristo, o Grande Médico:

images-1

A – O terceiro rosto que Ezequiel viu foi o “ROSTO DE BOI”, representando Jesus Cristo como nosso Grande Médico.

Como pode o boi ser comparado a Jesus? Analisando este ponto, a fundadora de nossa obra conclui que a semelhança está nas características do boi, o mais belo símbolo do suportador de cargas. Em Deuteronômio 14:4, é o primeiro citado na relação dos animais limpos. É manso, obediente e fiel até a morte.

Isto foi, precisamente, o que Jesus mostrou através de toda sua vida (Mateus 11:29), e, finalmente, no Calvário (Filipenses 2:7-8), levando sobre Si, com grande sofrimento, o peso de nossos pecados, vergonha e doença. “Seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer…” (Isaías 52:14) ao morrer, tornou-se vencedor sobre o pecado, enfermidade, morte e inferno, pois, “Tragada foi a morte na vitória.” (I Cor. 15:54b).

Vejamos algumas evidências da Cura Divina, através das Escrituras:

1 – Deus fez um pacto com o povo de Israel, quando saiu do Egito: “Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus, e obrares o que é reto diante de seus olhos, e inclinares os teus ouvidos aos seus mandamentos, e guardares todos os seus estatutos, nenhuma das enfermidades porei sobre ti, que pus sobre o Egito: porque EU SOU O SENHOR QUE TE SARA (Jeová Rafah).” (Êxodo 15:26).

2 – Jesus foi apontado pelo profeta Isaías como aquele que levou as nossas doenças: “Verdadeiramente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre Si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, PELAS SUAS PISADURAS FOMOS SARADOS.” (Isaías 53:4-5).

3 – A profecia citada acima cumpriu-se no início do ministério de Jesus, segundo nos relata Mateus. “E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e Ele com a Sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos, para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças.” (Mateus 8:16-17).

4 – Eis as preciosas palavras do Salmista Davi, referindo-se a Jesus: “É Ele que perdoa todas as tuas iniquidades, e sara todas as tuas enfermidades.” (Salmos 103:3).

5 – Mateus 9:35 apresenta Jesus, em Seu ministério tríplice: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ENSINANDO nas sinagogas deles, e PREGANDO O EVANGELHO do reino, e CURANDO TODAS AS ENFERMIDADES entre o povo.”.

6 – Jesus deu aos Seus discípulos poder sobre espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo mal (Mateus 10:1).

7 – Após a ascensão de Jesus Cristo, “muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo PELAS MÃOS DOS APÓSTOLOS… e até das cidades circunvizinhas concorria muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais TODOS ERAM CURADOS.” (Atos 5:12,16).

8 – “JESUS CRISTO TE DÁ SAÚDE”, disse Pedro a Enéias, paralítico havia oito anos (Atos 9:33-34).

9 – Entre os nove dons dados aos crentes pelo Espírito Santo, estão os “dons de curar” (I Coríntios 12:8-11).

10 – Pedro, na sua primeira epístola, registra o duplo benefício do sacrifício de Cristo no Calvário: SALVAÇÃO e CURA DIVINA.”Levando Ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e PELAS SUAS FERIDAS FOSTES SARADOS.” (I Pedro 2:24).

11 – Eis o pacto de Cura Divina no Novo Testamento: “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.” (Tiago 5:14-15).

Jesus nos mostra como tomar posse da Cura Divina:

“Perdi, e dar-se-vos-á… porque , aquele que pede, recebe…” (Mateus 7:7-5).

JESUS CRISTO VOLTARÁ

Temos o seguinte esboço, para o estudo desta doutrina:

A – O “rosto de águia”.

B – Evangelho – MATEUS.

C – Como apresenta Jesus – Como o “Rei”.

D – Símbolo da Segunda Vinda – A Coroa.

E – Cor simbólica na bandeira – Púrpura (Roxa).

3 – Jesus Cristo, o Rei que há de Vir:

A – O quarto rosto que Ezequiel viu foi o “ROSTO DE ÁGUIA”, representando Jesus Cristo, o Rei que há de Vir.

Características da águia que se assemelham a Jesus:

– Olhar penetrante perscruta as distâncias dos elevados céus. – Jesus vê todas as coisas, nada passa desapercebido ao seu olhar.

– Audição aguda. – Jesus ouve todas as coisas.

– Veloz, ágil e esperta. Dos elevados céus, vê a presa e desce vertiginosamente para apanhá-la. É tão rápida que a presa não percebe a sua presença. – O Rei Jesus voltará tão rápido como o piscar de olhos.

Defende sua família até a morte. – O Senhor deu Sua vida por nós.

Fiel. O casal, geralmente, permanece fiel um ao outro por toda vida. – O Senhor Jesus sempre nos é fiel.

A águia é um símbolo de autoridade e poder. Emblema de muitas nações, inclusive, Judá.

Versículos que falam sobre a águia e suas características:

Jeremias 4:13, Jó 39:27-30, Salmos 103:5, Jeremias 49:16, Êxodo 19:4, Deuteronômio 32:11.

1 – No Velho Testamento, várias profecias apontam Jesus Cristo como o Rei que voltará.

– Enoque procede da linhagem de Sete, Gênesis 5. Em Judas 1:14-15, encontramos a profecia de Enoque.

– Jacó profetizou sobre sua realeza, Gênesis 49:1, 49:10. Siló – nome próprio que designa o Messias, e refere-se à disposições pacíficas de seu reino.

– Isaías 9:7, Jeremias 23:5-8, Deuteronômio 7:13-14 e muitos outros falaram da primeira e segunda vinda de Cristo.

2 – No Novo Testamento, há 260 capítulos onde há 318 referências acerca de Sua Segunda Vinda.

– O anjo Gabriel disse para Maria que Seu reino seria eterno, Lucas 1:32-33.

– Jesus garantiu aos discípulos que voltaria. João 13:36, 14:2-3.

– Os anjos falaram quando Jesus foi para o céu. Atos 1:10-11.

– Paulo, em seus livros, fala 50 vezes sobre a volta de Jesus. I Coríntios 15:51-52, Tito 2:13.

– Tiago fala sobre a volta de Jesus. Tiago 5:8.

– João, tanto no seu evangelho como nas Epístolas, fala da volta do Senhor. João 5:28-29; I João 3:2.

– No último capítulo da Bíblia, está a preciosa e última promessa. Apocalipse 22:20: “Ora vem, Senhor Jesus.”.

Nossa Fundadora

Biografia de Aimee Semple McPherson

1 – Introdução

Esta página vem esclarecer algumas questões sobre à trajetória, vida e o plano de Deus com relação à Aimee Semple McPherson, um exemplo de pessoa que, usada por Deus, deixou um tesouro enorme para nós, através da Visão e fundação da Igreja do Evangelho Quadrangular. Veremos, a seguir, alguns fatos importantes que aconteceram na vida de Aimée Semple McPherson.

2 – Infância e Adolescência

Aimee Kennedy nasceu em uma fazenda, perto de Ingersoll, Ontário, no Canadá, a 9 de outubro de 1890, filha única do casal James e Minnie Kennedy. Lá, passou sua infância e mocidade, formando-se do colégio com honras especiais. Na sua adolescência, a jovem Aimee se interessou, cada vez mais, pelos programas sociais e recreativos da Igreja Metodista que ela frequentava, usando seus talentos criativos nas apresentações teatrais da igreja. Cinema, patinação no gelo, romances e bailes foram as diversões que atraíram-na até o ponto de seu coração ficar cada vez mais frio e longe de Deus. Com a idade de dezessete anos, enquanto cursava o colégio, ela ficou fascinada com os ensinamentos da teoria da evolução. Mesmo sendo criada num lar cristão, Aimee começou a duvidar da veracidade de suas crenças religiosas, até, da existência de Deus. Nessa condição de indiferença ateística, Aimee não se sentiu feliz. Entre as dúvidas e a tristeza por ter discutido com a sua mãe, tendo-a magoado com sua descrença, a luta em seu coração era muito grande.

3 – Conversão

Uma noite, ela foi para seu quarto, determinada a achar uma solução para suas dúvidas. Sem acender a lamparina, ajoelhou-se em frente à janela aberta, onde contemplava a paisagem branca, toda coberta de neve. Levantando seus olhos aos céus, vendo a lua e as estrelas, pensou: “Certamente, deve existir um grande Criador, que fez tudo isto.”. De repente, ergueu os seus braços para o céu e clamou: “Ó Deus… se é que há um Deus… revele-se a mim!”. “Suponho que o Pai Celestial responda a essa oração para cada ente humano que envie sua petição desesperada em direção aos céus. Pelo menos, Ele respondeu à minha, antes da meia-noite seguinte.”, disse Aimee. Depois das aulas daquele dia, enquanto esperava o horário para o ensaio da peça de Natal, no salão da prefeitura, Aimee saiu andando pela rua de neve, com seu pai, e notou um aviso, no salão de Missões, que dizia: “Reunião de Avivamento, Robert Semple, evangelista irlandês. Todos são bem vindos.”. O pai de Aimee sugeriu que entrassem, e ela aceitou sem discutir, pois notícias desse reavivamento haviam chegado ao seu conhecimento, e a curiosidade a impulsionava a estar ali.. Tudo era interessante, os cânticos bastante animados, todos cantavam levantando as mãos, e ela se divertia. A seriedade tomou conta do semblante de Aimee, ao ver o evangelista entrar com a Bíblia debaixo do braço. Moço alto, , um topete de cabelo crespo castanho, que teimava em cair sobre os azuis olhos irlandeses. Era possível rir com ele, pois sua mensagem borbulhava com um humor claro e sadio, mas não se podia rir dele “Nem pensar.”, comenta Aimee. “Leiamos Atos 2:38-39:”, disse, e leu: “…Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo.”. E começaram arrepios correndo pelas costa de Aimee, ela jamais ouvira um sermão deste. Usando a Bíblia como espada, ele dividiu o mundo em dois. De um lado, colocou o cristão, do outro, o pecador. Segundo o seu evangelho, todos estavam destinados ao céu ou ao inferno. Ao ouvi-lo pregar, a pessoa entendia haver diferença visível entre o pecador e o membro da igreja. O pregador passou a falar do Espírito Santo e, de repente, a falar numa língua desconhecida. Aimee diz que, para ela, este pronunciamento, inspirado pelo Espírito Santo, era como a voz de Deus, trovejando em sua alma palavras terríveis de juízo e condenação. Apesar da mensagem falada em línguas, ela entendia perfeitamente Deus dizer para ela: “Você é uma pecadora, perdida, miserável, merecedora do inferno!”. Aquela noite mudou a vida de Aimee. Jamais, alguém disse tamanha verdade a ela. Era como se mãos invisíveis houvessem se estendido sobre ela e começassem a sacudir sua alma. Uma convicção genuína a envolveu, e ela sabia que havia um Deus e ela era uma pecadora. Ainda assim, Aimee tentou fugir, procurando, por três dias, se distrair das palavras do evangelista em músicas de jazz. Mas, numa tarde de dezembro de 1907, três dias após aquela pregação, voltando para casa de trenó, Aimee não conseguiu mais suportar. Era como se os céus de bronze fossem cair sobre ela e que, em poucos momentos, seria demasiado tarde. “Deus, tenha misericórdia de mim, uma pecadora!”. Tudo mudou em sua volta, e uma grande paz invadiu a sua vida. Diz, Aimee: “Foi como se o sangue carmesim do calvário, ainda quente, se derramasse sobre todo o meu ser. Grandes lágrimas escorriam sobre minhas mãos enluvadas, enquanto segurava as rédeas. Quando entrei em casa, senti Aquele que é invisível bem próximo de mim. Meus pais estavam no estábulo, e me alegrei por estar só. A casa inteira parecia inundada de uma glória de cor de ouro. Levantando a tampa do fogão de metal, na sala de estar, queimei minhas sapatilhas de dança, minhas partituras de jazz e meus romances. Meu pai quis saber o que estava acontecendo, e expliquei: “”Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo.”. Converti-me e não tenho mais necessidades dessas coisas!”.

4 . Busca do Espírito Santo

Daí por diante, Aimee passou a buscar a presença de Deus. Não perdia tempo para orar e ler a Bíblia. Diz Aimee que, quando orava, falava com Cristo, e, quando lia a Sua Palavra, Ele falava com ela. No entanto, chegou o dia que esta serenidade foi abalada, ao analisar: “O Senhor dá tudo, e eu só recebo. O egoísmo é um traço de caráter abominável. Senhor, quê posso fazer em troca?”. Aimee busca resposta na Bíblia: “… o que ganha almas é sábio… resplandecerão como as estrelas sempre e eternamente.”. Era como se uma voz poderosa falasse, em tom de clarim: “Agora que você foi salva, vá, ajude a salvar os outros.” Orando de joelhos, Aimee, em sua imaginação, viu um grande rio, rápido e impetuoso, tragando milhares de pessoas (homens, mulheres e crianças) em sua correnteza e levando-os à morte. Então, disse: “Da mesma forma como “fui levantada”, eu deveria estender minhas mãos para todos a quem possa alcançar e trazê-los para um terreno sólido. Deveria estar disposta a cruzar o continente de joelhos, para dizer a um pobre pecador. Como posso fazer isso, eu, que sou filha de fazendeiro e moro numa fazenda que fica a oito quilômetros da cidade mais próxima, como posso almejar ganhar almas, um dia? Além disso, só os homens têm permissão para pregar.”. Muitas indagações surgiram na mente de Aimée, sobre o Ministério da Mulher. Tentou encontrar respostas com sua mãe para muitas delas. No entanto, foi na Bíblia que ela descobriu que Débora, uma mulher, havia comandado esplêndidos exércitos. A mulher junto ao poço pregou o primeiro sermão de salvação e levou uma cidade inteira a Cristo. E, em meio a tanto desejo de pregar a Palavra de Deus, Aimee não desistia de quem a pudesse ajudá-la e, numa noite, quando voltou para casa, encontrou sua mãe examinando a Bíblia para responder suas perguntas. “O quê aconteceu?”, indagou Aimee. “Minha querida, descobri que os dons de Deus jamais foram cancelados. A promessa é para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. E, nos últimos dias, Ele prometeu derramar do Seu Espírito sobre toda carne. Os servos e as servas profetizarão. Eu também buscarei a plenitude do Espírito.”.

5 – Casamento, Viagem Para a China e Viúves

A primavera chegou ao campo. Certa noite, enquanto Aimee estava na casa de um vizinho, com duas crianças que tinham apanhado febre tifóide, a porta se abriu, e Robert Semple, o evangelista, surgiu diante dela. Alto, moreno, sorridente, ele apareceu com a chuva brilhando em seus ombros, como um cavaleiro sem couraça. Um impulso de alegria a envolveu. Segundo Robert Semple, havia chegado de Stratford e, sabendo que as crianças adoeceram, viera fazer-lhes companhia. Naquela noite, as crianças tiveram os dois como enfermeiros. Aimée e Robert conversaram, por algum tempo, a respeito das cartas que trocavam entre si, do batismo com o Espírito Santo que ela havia recebido e do grande desejo que ela tinha de ser ganhadora de almas. E, enquanto falava, percebia os grandes olhos azuis de Robert fixos nela. Ele lhe falara de sua estada em Stratford, de suas realizações como homem de Deus, de suas reuniões, salões cheios e milhares de homens e mulheres aceitando a Cristo. Aimee não escondia o seu contentamento e não
negava o seu desejo de ser uma missionária. Ao olhar os livros espalhados sobre a mesa, Robert deparou com o de geografia e, folheando as páginas, abriu no mapa do Oriente. “A China será o meu desafio, o meu destino e ponto de ataque.”. “Que maravilha!”, suspirou Aimee. “Gostaria de dedicar a minha vida a uma causa como esta.”. “Foi justamente sobre isso que eu vim falar com você.”, disse Robert. A voz do homem que a ganhara para Cristo atravessara sua fantasia. “Sei que tem, apenas, 17 anos, mas eu a amo de todo coração. Logo, vai fazer 18. Quer casar-se comigo, e ir em minha companhia para a China?”. Aimée ficou olhando estarrecida para ele. O rosto honesto não conseguia falar, mas um desejo irreprimível de ajudá-lo nasceu em seu coração. Ela sabia que o amava profundamente, amava seu ministério, seu Cristo, seu ensino, sua mensagem. Não foi preciso respondê-lo imediatamente. Oraram juntos. Enquanto oravam, Aimee, numa visão, viu uma estrada longa e brilhante se estendendo em direção á Cidade Celestial, Robert e ela estavam subindo por um caminho ladeado de anjos que levava ao trono de Deus. Aimee o aceitou. Robert falou com os pais de Aimee, pedindo consentimento, e, de maneira simples e franca, tiveram sua bênção. No dia 22 de agosto de 1908, se casaram. E, segundo Aimee, ele foi o seu Seminário Teológico, seu mentor espiritual, seu marido terno, paciente e dedicado. Para ajudar no salário como evangelista, Robert trabalhou numa fábrica de caldeiras. Os dias melhoraram, e ele foi chamado para Londres, Ontário e Chicago. Ele trabalhava incansavelmente para Deus, e Aimee fazia as tarefas menores, cuidava da casa, tocava piano e orava com os convertidos. “Vamos para a China em seis semanas.”, anunciou Robert , certa noite. “Vamos colher pérolas amarelas, para a coroa que depositaremos aos pés do Salvador.”. A situação preocupara a jovem esposa, que se via partida, sem a tutela de uma organização missionária, sem dinheiro, sem nada. Apenas a fé e a confiança que Robert tinha no Senhor. Ao pregarem numa igreja de italianos, para se despedirem, foram surpreendidos com ofertas em dinheiro, cheques, ouro, etc. Quando chegaram em casa, a soma deu para as passagens e um pouco mais. Depois de pregarem no Canadá, voltaram a Ingersoll, para se despedirem dos pais de Aimee. Daí, seguiram para a Irlanda, a fim de visitar e, também, se despedirem da família de Robert. Durante a viagem para a Irlanda, enfrentaram uma forte tempestade, e, em meio a enjôos, medos e temores, Aimee conta ao marido que está grávida. Lá, ela conheceu os irmãos de Robert: Sam, Will, Marion e Maggie, e diz ter se apaixonado pelos sogros. Ali, ela recebeu da sogra uma peça de flanela para fazer as roupinhas do bebê. Começou a viagem que os levaria à China. Primeiro, passariam na Inglaterra. Em Londres, iriam procurar Cecil Polhill, o milionário cristão, que, com certeza, os ajudaria a chegar ao seu almejado destino. Ali, Aimée fez a sua primeira pregação, numa convenção onde estavam reunidas cerca de 15 mil pessoas. A oferta de US$ 15, feita por Polhill, os levara à China. Lá chegando, os missionários vestidos de branco exclamaram: “Ei, vocês, aí. Bem vindos à China!”. Robert comentou a respeito da amizade que existia entre os missionários estrangeiros. Ficaram algum tempo numa grande missão e foram iniciados sobre a maneira e os meios de começar suas tarefas. Logo depois de sua chegada, Robert começou a pregar o Evangelho através de um intérprete, e Aimée a procurar uma casa. Segundo ela, uma tarefa muito difícil. O povo era místico, o sol escaldante, e a dificuldade da língua, os camundongos e os rituais que o povo praticava a deixavam desolada. Foi acometida de malária tropical, ficando, um mês, dia e noite, no leito. A sua única preocupação era a criança. Robert também caiu doente, tentou relutar e, com muito esforço, deixou a cama para lutar pela vida, mas, a cada dia, foi piorando, prostrando-se, no hospital. Apesar de ainda doente, Aimée se preocupava com o marido e queria manter-se informada de suas notícias. Diz Aimee: “Às duas da manhã, eu ainda me encontrava completamente despertada, vigiando a luz sobre a cama de meu marido. Ela não se apagou nenhuma vez. De quando em quando, uma sombra aparecia na parede, enquanto formas moviam-se ao seu redor. Uma sensação palpitava. A luz noturna acendeu-se na mesa da enfermaria e ela caminhou em minha direção.”. “Está dormindo?”, perguntou. “Não.”, respondi. “Então, levante depressa, ponha o robe e os chinelos.”. “Pulei da cama em segundos e fui colocando a roupa. Tremendo como uma folha de papel, perguntei, através dos dentes, que batiam uns nos outros: “Meu marido… ele, ele está morrendo?”. “Não! Não!”, eu gritei, levantando rapidamente os olhos. Mas, era verdade. De algum modo, eu sabia que ia gritar; todavia, não devia fazer isso. Nesse mesmo momento, os braços fortes de meu Salvador fecharam-se sobre mim, e encontrei-me sussurrando, com os lábios endurecidos: “O Senhor deu e o tomou. Bendito seja o nome do Senhor.”.

6 – Volta Da China

Devagar, ganhando velocidade aos poucos, o Empress foi deixando a linha costeira da China, levando Aimee e sua filha, com apenas 13 semanas, de volta para América. Ela pensava que, agora, teria que decidir tudo sozinha, resolvendo procurar bons amigos de Robert, buscando uma orientação para sua nova vida.

7 – Dificuldades Pessoais e Ministeriais

Com a morte de Robert Semple, Aimee começa a passar por dificuldades financeiras e, também, necessita dedicar mais tempo a sua filha, pois estava com a saúde muito fragilizada. Seus problemas pessoais, a cada dia, mais dificultavam sua vida ministerial. Em meio a tantas dificuldades pessoais e ministeriais, Aimee aceitou casar-se com Harold McPherson. Seria a oportunidade de reconstruir um lar seguro para ela e sua filha, também, a oportunidade de desenvolver o seu ministério com mais tranqüilidade. Durante algum tempo, o marido de Aimee passou por dificuldades financeiras. Ela começou a arrecadar ofertas para o Exército de Salvação, com isso, conseguia ajudar nas despesas da casa. Neste período, engravidou, quando seu filho Rolf McPherson nasceu, teve que parar de trabalhar. Aimee começou a dedicar-se aos filhos e a rotina do lar, porém não estava feliz, porque na intensa chamada de Deus e o dever com a sua família, Aimee caiu num estado de depressão, adoecendo gravemente, e foi levada a um hospital. Aimee pedia a cura a Deus, mas, a cada pedido, ouvia o Senhor, dizendo: “Tu irás? Pregarás a palavra?”. Mas, somente depois de um ataque repentino de apendicite, que a levou a 5 operações em um mesmo dia, chegando ao ponto de pedir a morte, durante a madrugada, ouviu a voz do Senhor: “Agora, tu irás?”. Quase sem forças, respondeu-lhe; “Sim, Senhor, eu irei.”. Em 15 dias, ela estava totalmente recuperada, não se sentindo forte para entrar em discussão com seu marido e sogra quanto ao seu chamado. Resolveu partir com seus filhos, voltando para o ponto de origem, o Canadá. Encontrou total apoio de seus pais, que se ofereceram para cuidarem de seus filhos, telegrafou para seu marido, pedindo que ele fosse ao seu encontro. Aimee participou de um encontro Pentecostal, em Ontário, onde teve um novo encontro com Deus, assim, iniciando o seu ministério no Canadá. Apesar de, na época, ser raro uma pregadora, foi respeitada e aceita, pelos sinais que Deus operava através de sua vida.

8 – Inicio do Seu Ministério

Em sua primeira campanha, em Mount Forest, em 1915, Harold McPherson, marido de Aimee, mandou-lhe um telegrama, para que Aimee voltasse para sua casa. Ela não aceitou, e ele veio ao seu encontro e, ouvindo uma de suas pregações, reconheceu o chamado de Deus na vida dela, estimulando-a a continuar. A primeira Edição da revista Bridall Call foi lançada em 1917, Aimee fez sua primeira viagem transcontinental em 1918, atravessou o continente em seu carro, com as frases: “Carro do Evangelho” e “Jesus voltará, prepare-se!”, acompanhada pelo casal de filhos, sua mãe e uma secretária. Entre 1918 e 1923, realizou 38 campanhas, e, no ano de 1922, o seu ministério tornou-se internacional, quando realizou uma campanha na Austrália. Neste mesmo ano, na Califórnia, quando pregava sobre a visão de Ezequiel 1:1-28, foi inspirada a denominar o seu ministério como “Quadrangular”. No dia 1º de janeiro de 1923, foi inaugurado o templo Sede Internacional Ângelus Temple, com capacidade para 5000 pessoas. Aimee dirigia 21 cultos por semana. Nos primeiros meses, 7000 pessoas encontraram a Salvação em Jesus Cristo. Trinta e três dias depois, foi inaugurado o Instituto de Treinamento Evangelístico e Missionário. Aimee também consagrou uma sala de oração, baseada no versículo “Orar sem Cessar”. Em 06 de fevereiro de 1924, consagrou a primeira rádio pertencente a uma igreja nos Estados Unidos, e a terceira emissora em Los Angeles, a KFSG. Aimee também foi autora de vários livros, 105 hinos e 13 óperas sagradas.

9 – Sequestro

Durante um passeio na praia, foi abordada por uma senhora que chorava muito e pedia para que fosse orar por sua filha, que estava morrendo no carro. Chegando ao carro, percebeu que era uma cilada e foi sequestrada. Chegando ao cativeiro, indagou aos sequestradores o por quê do seu sequestro, então, eles disseram que pediriam um resgate e ficariam com o Templo. Ficou presa por quase um mês, em uma casa, depois levada para uma cabana primitiva, por dois ou três dias. Quando se viu sozinha, pulou a janela, conseguindo escapar para o deserto, onde andou o dia inteiro, passando por muitos perigos, já era madrugada, quando avistou uma casa, aonde foi pedir ajuda. O senhor Gonzáles chamou a policia do Arizona para registrar o sequestro e avisar sua mãe, a polícia registrou o sequestro e a encaminhou para o hospital. Não acreditando que tratava da senhora McPherson, chamaram um editor para identificá-la, ele confirmou, e, assim, ela pode entrar em contato com sua mãe, pelo telefone. Todos, quando souberam da noticia, no Templo, ficaram muito felizes com a volta da irmã McPherson. Nesta época, ela foi muito perseguida pelos jornalistas e autoridades, que não acreditaram em sua história. Depois de terem esgotado esta história, resolveram acrescentar algo mais picante, como se esse tempo de cativeiro fosse desculpa para encontros amorosos, denegrindo sua imagem de evangelista. Inventaram, até, um possível aborto. Mais uma vez, Deus esteve com ela, e nada foi provado, desta forma, foi encerrado o inquérito, por falta de provas.

10 – Volta ao Ministério

Aimee voltou a suas viagens evangelísticas. Uma parada, nessa viagem, foi na cidade Baltimore, onde os jornais divulgaram-na como “Mulher Milagrosa”. Através desse anúncio, o teatro ficou repleto de paralíticos e doentes, Aimée foi orar ao Senhor, porque sabia que não tinha o poder para curá-los, e o Senhor respondeu-lhe que quem tem o poder de curar e salvar é Ele, e ela seria um instrumento em suas mãos. Naquela noite, muitos milagres aconteceram. Durante as viagens evangelísticas, sua mãe cuidava, com eficiência, do Templo, em Los Angeles. Com a morte de sua mãe, Aimee assumiu o Templo, tendo um desgaste físico e mental, adoecendo gravemente, e seu filho, Rolf, que havia voltado de uma viagem evangelística, assumiu a liderança.

11 – Seu Último Casamento e Sua Morte

Após os casamentos de seus filhos, Aimee sentiu-se muito sozinha, foi quando conheceu o cantor David Hutton e apaixonou-se, casando-se novamente. Mais uma vez, foi enganada pelos seus sentimentos, logo, descobriu que ele não a amava, somente a usou para obter sucesso em sua carreira. Assim, divorciaram-se. Na noite de 26 de setembro de 1944, Aimee pregou o seu último sermão, perante uma multidão, na cidade de Oakland, na Califórnia. Esta foi a mesma cidade em que, 22 anos atrás, ela recebera a visão do Evangelho Quadrangular. O ministério terreno de Aimee terminou incansável, como começara. Quando seu filho, Rolf, encontrou-a, na manhã seguinte, ele soube que o desejo dela fora concedido. E assim, ela partiu para o Senhor.

12 – Conclusão

Ao olhar para a vida de Aimee Semple McPherson, podemos ver que, quando Deus inicia uma obra, Ele é fiel e justo para terminar. Vemos que, desde a sua adolescência, o chamado de Deus era algo forte, que a impulsionava em busca da verdade. Em sua caminhada, foi caluniada, enganada e perseguida, chegou quase à morte, mas, Deus a resgatou, porque aquela enfermidade era para a glória de Deus. Ela venceu a morte, venceu suas necessidades humanas. Os seus esforços contribuíram para que Deus agisse de forma maravilhosa em seu ministério. Por ser mulher, pagou um preço mais alto. Enquanto o mundo a criticava, Deus a purificava e a usava com poder e glória. O seu amor pelas almas era maior que as dificuldades que encontrava pelo caminho, sua vida foi dedicada, quase que por completa, ao ministério, sua prioridade era levar a salvação, a cura, a restauração através do poder do nome de Jesus Cristo. Que sua vida e ministério nos sirvam de exemplo, e que possamos obedecer ao chamado de Deus. Hoje, podemos olhar com orgulho e ter toda a herança que ela nos deixou: o ministério Quadrangular, que sobreviveu até hoje.

about_aimee_semple_mcpherson

Visão Grupo de Crescimento
Visão Discipulado
Nossos Pastores

A principal atividade econômica do município – cujo nome homenageia o fundador de Lages – é o cultivo de madeira, com extensas áreas de reflorestamento

Portal de Turismo

do Município de Correia Pinto

Igreja do Evangelho Quadrangular está em festa!
64 anos de existência no Brasil, pregando o evangelho e fazendo o bem sem olhar a quem.

Conselho Estadual de Diretores

IEQ SC

Estamos iniciando uma nova fase de comunicação por meio da Internet. Após sua reestruturação, o Portal IEQ Brasil traz mais interatividade e unificação para o ministério

Porta ieq brasil

Pr Mario de Oliveira

2 + 5 =


Hit Counter provided by Sign Holders